Bbzs' Blog

Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Sim, em abril chegou ao mundo nossa segunda filha!

Ela nasceu em casa, na banheira, após 41 semanas exatas (é, meu forninho é lento mesmo! ela ameaçou vir com 36 semanas mas ficou por isso mesmo!) em 5 horas e meia de trabalho de parto (exatamente metade do tempo do primeiro), mas muito, muito, MUITO mais intenso e dolorido que o anterior (na última hora e meia foi punk! mas o desfecho maravilhoso!) e gordinha com seus 3,800kg e 52 cm (laceração espontânea SEM sutura!). Só pra comparar: Laura veio com 41s5d, 11h de TP, 3,140 kg e 51 cm (laceração espontânea que precisou de sutura). Ah, quem me assistiu foi minha parteira do coração: Vilma Nishi!!!

Pra matar a vontade:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

 

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Choraram? Eu choro toda vez!

E já estou com saudades do barrigão, do parto (sim, do parto!)

E isso porque doeu muito, eu gritei muito, mas foi muito, mas muito transformador, emocionante, maravilhoso e tudo que vocês já sabem!

Bjos!

Quando eu terminar o relato eu posto aqui!

Anúncios

Vi pelo Facebook essa reclamação de VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA  no site Reclame Aqui.

Eu acho inadmissível uma enfermeira, prestando um atendimento de emergência fazer uma gestante esperar mais que o tempo necessário apenas por que ela se recusou a fazer um exame de toque (totalmente desnecessário naquele momento).

Se ela procurou atendimento por suspeita de infecção urinária (que pode causar parto prematuro), o ideal era coletar urina e mandar para análise.

No caso, a gestante sabia dos seus direitos, a mãe dela sabia analisar o resultado do exame e viu quando mentiram pra ela acerca do resultado do exame.

Ah, e mentiram também no prontuário médico, que é um DIREITO DO PACIENTE!

Fiquem espertas e não aceitem um atendimento qualquer. Seja em hospital público ou particular, a obrigação é do prestador oferecer um serviço de qualidade.

Relato de um PAI

Após muita insistência de minha esposa, resolvi escrever meu relato sobre o nascimento de Laura, não sou bom “escrivinhador” como ela; mas vou tentar, prometo me empenhar bbza.

Há 1 ano e 11 meses, exatamente, nascia Laura Packer, pequena muito amada e querida, princesa do pai, mas meu relato começa mesmo com a notícia da gravidez… me lembro exatamente o momento, estavamos no carro, próximo a Av Cruzeiro do Sul, Zona Norte…quando de repente: “estou grávida…” nossa, sem comentários, nem sei o que senti, alegria e medo, muita alegria e muito medo… não tinhamos planejado para 2007, mas quem conhece os desígnos de Deus? E fomos abençoados… Como pai de primeira viagem fiquei muito nervoso e preocupado, não estavamos preparados, porém estava bastante feliz e ansioso.

A GRAVIDEZ:

A gravidez de uma mulher é uma coisa estranha para um homem, pois sabemos que seremos pais, porém não conseguimos sentir da mesma forma que a mulher, é realmente estranho, não sofremos as mesmas transformações físicas e mentais que uma mulher passa, não passamos pelas alterações de humor e bagunça hormonal…
Para nós é mais ou menos assim: Em um momento estamos rindo com nossas amadas e no momento seguinte ela esta chorando copiosamente, e antes que possamos pensar no que aconteceu ou se fizemos algo de errado, vem uma patada e uma bronca e ainda sem conseguir assimilar a bronca, ela se põe a rir novamente com o rosto ainda molhado pelas lágrimas… MEU DEUS…que montanha russa de emoções…

Conselho para os futuros pais: mantenha-se em silêncio, responda apenas o que lhe for perguntado, concorde com absolutamente tudo que ela disser por mais absurdo que possa parecer e tenha atenção para perceber as mudanças de humor, pois não haverá perdão se você estiver rindo no momento errado. Apesar disso é uma fase muito legal, e você acompanha a transformação que ocorre com sua mulher dia a dia, e não estou falando apenas da barriga que não para de crescer, mas principalmente da parte psicológica do negócio, elas se tornam mais fortes, mais interessantes, mais bonitas, é a preparação para maternidade, que é muito mais concreta para elas do que para os homens… eu mesmo, só me senti pai na primeira noite em que a Laura chorou sem parar a noite toda, hehehhehe… aí, e somente neste momento eu me senti pai e foi uma sensação muito boa, apesar da noite mal dormida.

Os três primeiros meses de gravidez foram mais complicados, muito enjoo, com as coisas mais absurdas… como é possível uma pessoa enjoar ao ver relógios? se fosse quadrado então… depois melhorou um pouco… e apesar de não ser mais o foco principal na vida de nossas esposas, afinal de contas elas estão gravidas, vale MUITO a pena compartilhar este momento com elas… mea culpa: hoje percebo que não aproveitei completamente a gravidez de minha mulher, por insegurança, falta de maturidade e outros sentimentos conflitantes, queira Deus nos abençoar com uma nova gravidez.
Não entendam mal… não que eu não tenha curtido, porém com a cabeça que eu tenho hoje aproveitaria muito mais.

A BUSCA PELO PARTO IDEAL:

Na minha cabeça bebês nasciam em hospitais, todo mundo que eu conheço nasceu no hospital, então quando minha esposa veio com a idéia de ter o bebe em casa, confesso que fiquei meio relutante, para não dizer completamente contrariado, porém após algumas discussões e idas ao GAMA e ter lido alguns livros de forma coercitiva,hahaha; e principalmente após conhecer a Vilma (nossa parteira e hoje amiga muito querida) me convenci de que o parto deveria ser exatamente do jeito que minha mulher gostaria que fosse.

Porém foi longo e tortuoso o caminho até encontrarmos a Vilma, fomos em vários médicos e após muitas discussões desgostos, cesárias marcadas e partos frank, achamos a Vilma e as coisas melhoraram, quer dizer… passamos para fase da preparação do ninho… “esse apartamento é muito pequeno para nossa nenem”, disse ela… de fato era muito pequeno… “temos que trocar o carro, pois este não tem quatro portas, vai ser mais complicado…” de fato é verdade… colocar a Laura em um carro quatro portas já é uma LUTA, imagino em um de duas portas, e assim fomos nos preparando, mudança de casa… mudança de carro… tenho trauma de mudança até hoje hehehehe, mas não teria feito nada diferente, esse período foi muito legal.

Bom…casa nova, carro novo, quarto decorado, todo enfeitado com flores e borboletas estavamos prontos para Laura…ou pelo menos achavamos que sim…rsrsrs.

O PARTO:

Dia primeiro de agosto….uma e meia da manhã…minha bbza diz: “to com dor, vou pro chuveiro”, então fiquei na cama monitorando… ela ia e voltava, e ficava no chuveiro, por volta das cinco horas resolvemos ligar para Vilma… “vem pra cá que a Laura vai nascer”.

Após ligarmos para as avós e tia, começei a árdua missão de encher a piscina de plástico com água quente do chuveiro… meu amigo… nossa, como cabe balde d’agua neste tipo de piscina… e após incontáveis idas e vindas do banheiro para o quarto, do quarto para o banheiro a piscina estava com um bom volume de água, então veio a compensação… os momentos que passei nesta piscina com minha esposa prestes a dar a luz a nossa filha estão gravados em minha alma e meu coração de forma profunda…
Obrigado Deus por ter proporcionado este momento em minha vida, obrigado Bbza, sem seu empenho e seu esforço eu não teria essa lembrança eterna e inesquecível…naquele momento senti o que é ser homem, senti o que é família, sem comentários.

O tempo foi passando, aguinha quente, musiquinha havaiana…e nada da Laura chegar, procurei me manter calado, apenas curtindo o momento…
outra dica aos futuros pais… fique quieto… não fale nada… evite palpites, deixa que a mulherada se virar, apenas esteja presente e curta o momento… vai por mim.
Bom, voltando ao parto… a Vilma falou pra Cat sair da água e caminhar um pouco, pelo que entendi a Laura ainda não estava na posição certa… uma coisa que eu gostei foi de ouvir o coraçãozinho da Laura batendo enquanto nascia, também nunca vou me esquecer daquele som…som de vida, vida da minha filha.

Então a Bbza saiu da água e foi pro chuveiro… confesso que após tanto esforço para encher a piscina eu queria muito que ela nascesse lá, porém não foi o que aconteceu.
A Cat voltou para o quarto, e apoioda em meus braços sentamos juntos no chão… ela se encostou em meu peito e então começou a parte final do nascimento da Laura… se você pensa que já viu uma pessoa gritar experimente estar ao lado de uma mulher dando a luz no momento do tal “circulo de fogo”…
é impressionante… e você como pai se sente meio impotente neste momento, pois quer ajudar e não tem nada que vc possa fazer a não ser estar presente.

No quarto havia cinco mulheres todas falando e falando, quando fui dar algumas palavras de incentivo a minha mulher ela disse, entre gritos e som guturais: Cala boca…não é vc que esta sendo rasgado ao meio… hahahahaha, ninguém tinha me dado o conselho que eu repassei, mas ela estava certa, é um momento feminino, nós temos que agradecer é a oportunidade de estar presentes e vivenciar o momento com elas…

Em determinado momento a Vilma falou: “Nossa, que cabeluda”, eu olhei para ver se a Laura já estava despontando, porém ela estava sentindo a cabeça da Laura ainda internamente.
Após algum tempo minha mãe resolveu sair do quarto, permanecemos eu e minha Bbza, minha sogra e minha cunhada, além é claro da Vilma.
Foi um momento muito emocionante e tenso também, é difícil ver uma pessoa que vc ama passando por toda aquela dor, porém a dor faz parte. Minha Bbza é muito apegada a sua mãe, e em dado momento tomada pela dor ela disse: “Mããeeeeeeeee tira ela de mim, tira ela de mim”, então minha sogra a acalmou e fez uma oração que encheu o quarto de fé e esperança e então após muitos gritos, muitos …faz força agora…segura agora…agora deixa….agora não faz força…Laura nasceu…

Meu Deus, cordão estava enrrolado no pescoço, mas o susto durou um segundo, rapidamente a Vilma o soltou e a Laura nascia para o mundo. Não consegui segurar as lágrimas, lá estava ela… tão linda… carinha de joelho, vermelha como um pimentão… cabeluda que só ela…perfeita. MINHA FILHA!!!!!!!

Que emoção, que momento inesquecível, que alegria… não existem palavras para expressar o momento, simplismente não existem, nem os poetas mais inspirados poderiam transformar em palavras os sentimentos que me arrebatavam, lá estava eu, sentado no chão do quarto, com minha esposa, minha companheira, minha alma gêmea, minha tudo!

Apoiada em mim com nossa filha recém nascida nos braços, o cordão ainda pulsando, só quem viveu um momento destes pode falar, duvido que qualquer outro momento de minha vida supere aquele.

Quando o cordão parou de pulsar, a Vilma me ajudou a cortá-lo, outro momento muito emocionante, tem um significado muito grande… é como se a partir daquele momento, apesar de não contar mais com a segurança do ventre materno, de estar sendo posta neste mundo em que vivemos hoje, ela estava deixando este lugar aconchegante e seguro e indo para um lugar muito mais perigoso, não sei explicar direito…
no momento em que se corta o cordão e “perde-se” este local seguro, senti que apartir daquele momento ela era minha, nossa, e apesar de não ter a segurança de um ventre materno, a partir daquele momento senti que não deixaria nada de ruim acontecer com ela, de que nunca a deixaria desamparada e que a acompanharia e orientaria pela minha vida inteira, tudo isso sentido no segundo que levou para cortar o cordão…que por sinal é rígido, coisa que eu estranhei, pois pensei que fosse mole.

Agora eu era pai…agora eramos uma família.

AGRADECIMENTOS:
Gostaria de agradecer primeiramente a Deus por tudo de bom que me proporcionou e continua proporcionando.
Minha mãe, pelo apoio, por ser a pessoa maravilhosa que é e o exemplo de ser humano.
A minha sogra, mulher maravilhosa, e que me trata como a um filho.
A minha cunhada por estar presente no momento mais feliz da minha vida e pelo apoio e amizade que oferece a minha Bbza.
A Vilma, por proporcionar tudo que foi relatado acima, por ajudar a concretizar mais que uma vontade…um sonho.
AGRADECIMENTO ESPECIAL A MINHA ESPOSA, mulher maravilhosa, obrigado por tudo o que vc proporcionou na minha vida, obrigado por estar presente, sempre ao meu lado, independente do meu humor, obrigado pelo companheirismo e por dividir sua vida comigo. Com vc conheci o que é o amor, conheci o que é família, obrigado por todas as coisas importantes que você me ensinou. Obrigado por ser meu porto seguro, por ser a pedra fundamental de nossa família, obrigado por nossa filha, pelos momentos bom e pelos ruins também, pois só por estar ao seu lado eles se tornam menos ruins e até toleráveis… nunca vou ter como te agradecer por toda transformação que você fez na minha vida. TE AMO, HOJE E SEMPRE.

BBZO

… era o verbo!
Então vamos escrever!

Olá a todos!

Vamos ver quantos dias vai durar este blog…
Se alguém quiser apostar, fique a vontade!



  • Nenhum
  • Naiara Scarabelli: Seu Blog é lindo... Maravilhoso o jeitinho que você fala dos seus Bbzerrinhos*.... Estou gravida de 27 Semanas, é um rapazinho e quero ganhar parto
  • keylla: Ola. Seu relato me inspirou. Estou com um bebe de 2 meses e estou tentando deixar o complemento, mas ele pede o peito de hora em hora e chega a ficar
  • bbza: Então Cibely, a Laura começou a comer grãos com 10 meses. Arroz e feijão ou lentilha. Ela não curtia muito papinha, então um dia resolvemos tent